Clubes Ciência Viva na Escola

A instalação de um Clube Ciência Viva no nosso Agrupamento (CCV no AESCT) visa enriquecer e ampliar as atividades do projeto Semear a Ciência, alargando o seu espetro de aplicação/intervenção a todos os alunos do AESCT, permitindo a dinamização de um clube integrador de vários saberes (Ambiente, Astronomia, Física, Química, Robótica, Sustentabilidade), bem como a dinamização de trabalhos de cariz interdisciplinar, devidamente enquadrados e planificados por ano de escolaridade, numa abordagem STEM, contribuindo para a literacia científica, humanista e tecnológica dos alunos, comunidade educativa e comunidade local, onde o AESCT se integra.

São parceiros deste projeto: Câmara Municipal de São Pedro do Sul; Instituto Politécnico de Viseu; Fábrica da Ciência de Aveiro; Planetário do Porto.

Com o apoio conseguido nesta candidatura, esperamos tornar a ciência acessível a todos os alunos do agrupamento, proporcionando atividades de descoberta científica e divulgando a ciência e o método científico.

As vertentes do projeto são:

  • Ciência Viva no 1.º ciclo (Atividades de Robótica, Ciências Naturais e de Física/Astronomia), dirigida aos alunos de todas as turmas. Pretende-se integrar os conteúdos programáticos das disciplinas de Estudo do Meio e Matemática, com o apoio de docentes do 3.º ciclo que realizam atividades práticas com os alunos;
  • Ciência Viva na educação Pré-escolar (Atividades de Ciências Naturais), dirigida a todos os alunos/crianças do pré-escolar, pretendendo despertar o interesse dos alunos para o mundo que os rodeia, partindo da leitura de histórias e da realização de atividades práticas estimulantes;
  • Clube CCVnoAESCT 2.º e 3.º ciclos, atividades de enriquecimento do currículo dos alunos destes níveis de ensino. No clube desenvolvemos os conteúdos relacionados com Robótica, Astronomia e Ciências Experimentais, e Ambiente. Os alunos são incentivados a participar e a envolver-se em atividades práticas, de descoberta e com significado para a consolidação dos seus conhecimentos.

Aventuras Planetárias na EBI

No passado dia 11 de junho, esteve na nossa escola, no âmbito do projeto CCVnoAESCT, a Dra. Vera Assis Fernandes #aventurasplanetarias , especialista em geologia lunar. Com os alunos do 7.º ano, foi desenvolvido um workshop onde puderam investigar e caracterizar amostras de rochas, a fim de descobrirem se eram meteoritos. Os alunos mediram algumas propriedades das rochas (densidade, massa, volume, cor, magnetismo…), e concluíram, com base nas descobertas, se as amostras estudadas eram provenientes do Espaço.

Durante a tarde, foi proporcionada, aos alunos do 2.º ciclo, uma palestra “À caça de meteoritos na Antártida”, na qual a especialista partilhou com os alunos a sua experiência neste continente gelado. Também se proporcionou o contacto dos alunos com amostras de rochas, provenientes de vários locais no planeta, e meteoritos.

Foi mais um momento interessante, no qual a Ciência e a divulgação da Ciência permitiram aos alunos consolidar conhecimentos adquiridos nas aulas, reconhecendo a importância da aprendizagem. O nosso agradecimento especial à Dra. Vera Fernandes, com quem gostámos muito de passar o dia!

DAC “Dia Mundial do Ambiente” (Ciência Viva)

Durante a semana de 3 a 7 de junho, os alunos das turmas do 8.º ano celebraram o Dia Mundial do Ambiente, na disciplina de físico-química, integrando o projeto CCVnoAESCT. Os alunos foram desafiados a  pesquisar acerca dos fatores físicos e químicos que podem afetar o cultivo das espécies vegetais.

Nesta senda, realizaram atividades práticas nas quais puderam medir e  verificar a influência do pH  dos solos na horta pedagógica, concluindo que o solo dos terrenos da escola tem características ácidas, sendo bom para o desenvolvimento de espécies como mirtilos, ou a urze. Os alunos, ainda, verificaram a importância da sombra das árvores na temperatura do solo, verificando que, nas mesmas condições de inclinação e exposição solar, a presença da sombra das árvores permite baixar a temperatura do solo cerca de 5 ºC.

Pesquisando acerca do crescimento das plantas com a luz do Sol, descobriram que a luz de Led´s azuis é mais apropriada para desenvolver as sementes, enquanto que a luz de Led´s vermelhos permite aumentar o crescimento das plantas.

Desta forma, foi possível aos alunos verificar a importância da Ciência para o nosso dia a dia, e a aplicação prática dos conteúdos da disciplina.

Ciência Viva nos pátios

No âmbito do projeto Ciência Viva (CCV no AESCT), os alunos do 3.º e 4.º anos da EBI estão a participar na atividade “Ciência Viva nos pátios”, acompanhados pela professora Fátima Gomes e pela docente Isabel Cardoso (responsável pelo CCV no AESCT).

Começaram já a fase inicial de observação da fauna e flora do seu recreio, com o apoio do CERVAS.

Os investigadores Ricardo Brandão e Samuel Duarte, do CERVAS, no passado dia 7 de maio, visitaram a nossa escola e ajudaram-nos a explorar o nosso pátio.

Ficámos surpreendidos com a diversidade de seres existentes no nosso recreio e, como tal, decidimos investigar:

“Quais são os animais que vivem no recreio da EBI de Santa Cruz da Trapa?”

Aqui ficam as fotos de registo desse momento.

Os alunos do 3.º e 4.º anos da EBI de Santa Cruz da Trapa.

Workshop sobre Construção Natural

No dia 13 de maio, os alunos do 9.º ano tiveram oportunidade de participar num workshop sobre Construção Natural, orientado pela Eng. Rita Feijão. Foram focadas as mais valias da utilização de materiais naturais, dada a sua sustentabilidade ambiental, eficiência energética e benefícios para a saúde humana na construção de pequenos edifícios. Relembrou-se, ainda, a ancestralidade destas técnicas, presentes também na nossa região.

Após breve introdução teórica, acerca das vantagens deste tipo de construção, foi altura de pôr “as mãos na massa”, e os alunos construíram um pequeno muro com argila, palha e água, materiais naturais para a construção em palha encofrada. 

Esta atividade resulta da colaboração do projeto Ciência Viva no AESCT, com os clubes de artes, do ambiente (Eco-Escolas), e de Astronomia e Ciências, permitindo a consolidação de conhecimentos de diversas áreas disciplinares.

Durante o workshop foi evidente o interesse e envolvimento dos alunos.

Olimpíadas de Química Júnior

No dia 13 de abril decorreu, na Universidade de Coimbra, a fase regional das Olimpíadas de Química Júnior. O nosso agrupamento esteve  representado pela professora Isabel Cardoso, e pelas alunas Matilde Silva, Marta Silva e Mónica Oliveira. As mesmas participaram na prova, realizando atividades práticas e respondendo a questões relacionadas com a Química, a ciência que estuda os materiais. Depois de almoço, houve tempo para conhecer melhor os edifícios da Universidade de Coimbra, que são Património Mundial da UNESCO.

Agradeço às alunas, pela sua participação e empenho, e à Câmara Municipal de São Pedro do Sul que proporcionou o nosso transporte.

Isabel Cardoso (coordenadora do projeto CCVnoAESCT)

Atividades Clube Ciência Viva no AESCT e parceiros – 1.º período

Semana da Cultura Científica

O projeto Clubes Ciência Viva nas escolas, financiado pelo PRR, proporcionou aos alunos do AESCT o acesso a diversas atividades na Semana da Cultura Científica, no âmbito das parcerias estabelecidas com Centros Ciência Viva. A celebração da Ciência e sua divulgação dá lugar a diversas atividades a nível nacional, e o nosso agrupamento não foi exceção, graças às parcerias Ciência Viva.

Para desvendar os mistérios do céu noturno, os alunos do 9.º ano assistiram a uma observação no planetário portátil do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, na qual contactaram com “O céu no tempo dos Lusíadas”, acrescentando motivação para o estudo desta obra prima da literatura Portuguesa.

Os alunos do 7.º ano utilizaram um telescópio para observar o Sol, verificando a existência de manchas solares e a atividade da coroa solar. Também participaram num workshop no qual investigaram acerca da diferença entre peso e massa, em diversos planetas do Sistema Solar.

Todos os alunos do 3.º ciclo, com o apoio do plano intermunicipal para as alterações climáticas organizado pela CIM Dão Lafões, participaram em atividades dirigidas para a reflexão em torno da importância da mitigação das alterações climáticas no nosso distrito. As atividades incluíram um  jogo “Jenga da  biodiversidade” e o planeamento de centrais de produção de energia elétrica, potenciando os recursos naturais dos diversos concelhos da CIM.

Ainda neste âmbito, para os alunos do 1.º e 2.º ciclos, o Laboratório Móvel das Ciências esteve na escola sede, com atividades de ciência experimental.

A coordenadora do projeto Ciência Viva no AESCT (CCVnoAESCT) agradece a todos, parceiros e participantes, pela cooperação e colaboração nas atividades.

No próximo período, o CCVnoAESCT irá continuar a levar a Ciência a todos os alunos do agrupamento.

Atividades Clube Ciência Viva no AESCT e parceiros – 1.º período

Semana Mundial do Espaço

O projeto Clubes Ciência Viva nas escolas, financiado pelo PRR, proporcionou aos alunos do AESCT o acesso a diversas atividades ao longo deste primeiro período.

Assim, no âmbito da Semana Mundial do Espaço, com a parceria do ESERO (agência educativa da ESA em Portugal) deu-se a conhecer aos alunos, através da exposição itinerante “A vida a bordo da ISS”, as dificuldades de ser astronauta e os objetivos da Estação Espacial Internacional (ISS), projeto mundial de colaboração entre diversas agências espaciais mundiais, e do qual Portugal é país parceiro. Os alunos do 9.º ano puderam realizar atividades experimentais, envolvendo lentes e espelhos, utilizando LED, e tendo como motivação o funcionamento de telescópios. Os alunos do 4.º ano (EBI) e do  8.º ano assistiram a uma palestra dinamizada pela investigadora/geóloga Vera Fernandes, especialista em geologia Lunar, na qual também puderam contactar com amostras de minerais e rochas vindos do Espaço (meteoritos). A investigadora proporcionou também momentos de partilha com os alunos acerca das suas vivências enquanto cientista.

Os alunos do 7.º e do 9.º anos, também frequentaram um workshop dinamizado pelo Exploratório de Coimbra, no qual puderam refletir e desenhar modelos do Sistema Solar, respeitando a distância entre os planetas e o Sol, e verificar a dimensão dos planetas do Sistema Solar, relativamente ao planeta Júpiter.

Os alunos do 3.º, 4.º e 5.º anos (EBI), assistiram a uma palestra online acerca dos asteroides e da importância do estudo da sua composição e movimentos, pelo professor Ilídio Costa do Centro de Astrofísica e Planetário da Universidade do Porto.

Todas as atividades dinamizadas foram muito apreciadas pelos alunos que assistiram e participaram, demonstrando que a temática do Espaço é motivadora para a aprendizagem da Ciência. A coordenadora do projeto agradece aos parceiros (ESERO, Exploratório de Coimbra, Planetário do Porto e Aventuras planetárias) a disponibilidade e o profissionalismo com que desenvolveram todas as atividades.

A Ciência está Viva no AESCT!

Professora Isabel Cardoso

2.º Encontro Nacional de Clubes Ciência Viva

No dia 13 de outubro, realizou-se o 2.º encontro nacional de Clubes Ciência Viva, em Lisboa, no Pavilhão do Conhecimento. O AESCT esteve representado pela coordenadora do Clube Ciência Viva no AESCT, a professora Isabel Cardoso. Neste encontro as escolas/clubes partilham as suas atividades, divulgando pósteres. Houve  lugar para estabelecer novas parcerias, com diversos centros Ciência Viva.

Foi, ainda, divulgado o tema da nova exposição do Pavilhão do Conhecimento, “Nós e o Espaço”.

As palestras apresentadas, durante o dia, evidenciaram a importância da Ciência e da aprendizagem em  Ciência, que se faz nas escolas, preparando o futuro.

Ciência Viva nos Pátios – Parte II

Os alunos do 2.º e 3.º anos da EBI participaram no projeto “Ciência Viva nos pátios”. Esta iniciativa da Agência Ciência Viva visa aproximar os alunos deste ciclo de ensino de investigadores universitários, divulgando o que de melhor se faz ao nível da investigação em Ciência em Portugal.

No âmbito do projeto Ciência Viva no AESCT, houve lugar a duas sessões com a investigadora e engenheira geóloga Carla Candeias, da universidade de Aveiro: no dia 7 de junho e no dia 28 de junho.

Na sessão inicial, os alunos tomaram contacto com o método científico, o trabalho de um investigador em geologia e recolheram amostras das poeiras do recreio da escola.

As amostras recolhidas foram analisadas nos laboratórios da universidade de Aveiro e os resultados foram dados a conhecer aos alunos na segunda sessão.

As poeiras do nosso pátio são ricas em silicatos e quartzos, contêm algum cimento e tintas, e poucas partículas poluentes. Os resultados realçam que a área onde a nossa escola se situa não é poluída, sendo por isso seguro continuar a brincar no pátio/recreio exterior da escola.

Os alunos puderam, ainda, manusear amostras de rochas e comparar cheiro, dimensão e “peso”, verificando que as rochas vulcânicas são menos densas.

Finalmente, a engenheira Carla, partilhou alguns vídeos de vulcões em erupção, sempre espetaculares!

Todas as atividades desenvolvidas com a engenheira Carla Candeias foram fascinantes e promotoras da curiosidade dos pequenos cientistas do AESCT.

Enquanto coordenadora do projeto Ciência Viva no AESCT, agradeço aos alunos, e aos professores Isabel Almeida, Agostinho e Fátima Gomes, a disponibilidade em aprender um pouco mais sobre geologia, e a colaboração.

À engenheira Carla Candeias, agradecemos toda a disponibilidade e simpatia em comunicar Ciência.

Esperamos ter um novo encontro no próximo ano letivo!

Planetário na escola

No dia 13 de junho esteve na nossa escola o planetário portátil do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, no âmbito do projeto Ciência Viva no AESCT.

Desta vez, foram os alunos dos quintos e sétimos anos a desvendar os mistérios da nossa estrela: o Sol!

Houve também oportunidade de observar o astro-rei e descobrir as manchas solares, através do telescópio.

Com o apoio dos cientistas do Planetário do Porto, os alunos construíram relógios de Sol, e aprenderam mais sobre a orientação geográfica no nosso planeta, usando as estrelas.

Com esta atividade, procurou-se motivar o estudo da Física, e da Astronomia e desenvolver a curiosidade dos alunos.

Agradecemos aos cientistas José Dantas e Filipe, que mais uma vez, nos ajudaram a descobrir e aprender um pouco mais sobre o nosso Sistema Solar.