Janela da Primavera

Passadas as férias da Páscoa, observamos da nossa janela como estava tudo tão diferente lá fora. “As árvores já têm mais folhas”, observou a Iara enquanto constatávamos as mudanças. “Eu vejo florzinhas!”, anuiu a Emma. 

Partimos para mais perguntas e respostas acentuadas pelas vozinhas das crianças da sala B do Jardim de Infância de Santa Cruz da Trapa. Sem mais demoras, abrimos a porta para o parque e as crianças colheram amostras das preciosidades que a primavera oferece e que lhes faziam encher os olhos de alegria e cor. 

Esta recolha trouxe à mesa de trabalho a questão seguinte: O que é preciso para as plantas crescerem? 

Que tal se vos contar uma história, de quando eu era assim, pequenina como vocês, perguntei-lhes. Claro que quiseram ouvir, e lá foi… “A viagem da sementinha”, de M. Isabel Loureiro e Norberto Nunes.

Explorada a história quiseram também experimentar o processo de semear e ver crescer uma plantinha nova.  Mais algumas pesquisas na internet e averiguamos o que era necessário para que tudo corresse bem: “Para a minha planta crescer precisa de uma semente, água, terra e sol.” – diz a Mara

A plantação da semente realmente aconteceu e encarregou-se, diariamente, o “ajudante do dia” do processo de cuidar do crescimento da sementeira do grupo.

E como vibram estes pequeninos com os progressos da germinação das suas sementinhas. Muito preocupados porque a sementinha da Benedita desapareceu. O que lhe terá acontecido?… “Foram as formigas”, diz o Daniel. Mas que grande preocupação se gerou. Não faltaram ofertas dos colegas para cederem um embrião à amiguinha para levar para casa.

E assim vos deixo uma breve alusão ao fascinante mundo do jardim infância, onde o aprender da criança se faz das suas vivências.

Educadora Vera Neves
Sala B, Jardim de Infância de Santa Cruz da Trapa

Sensibilização/formação nas saídas de campo | alunos 2.º e 3.º ciclos

Os técnicos do GAAF, com o apoio de assistentes operacionais, promoveram a ocupação de alunos dos 2.º e 3.º ciclos, durante a realização de provas de aferição e/ou provas finais, concretamente nos dias 3, 4, 6, 11 e 12 de junho, integrando os seguintes momentos de formação/sensibilização:
– Sessão de Yoga (com professora convidada – Rita Feijão);
– Visita/sensibilização com Bombeiros Voluntários de Santa Cruz da Trapa;
– Encontro intergeracional na ARCA;
– Cinema no Centro Cultural da Casa do Povo de SCT.

Agradece-se a estimável colaboração das entidades parceiras referidas. 

Equipa GAAF

Visita de estudo Clube de Artes e Clubes Ciência Viva (Ambiente, Astronomia e Ciências, e Robótica)

No dia 14 de junho, encerrando as atividades letivas, 42 alunos dos 2.º e 3.º ciclos, realizaram uma visita de estudo, acompanhados pelas professoras Ana Cruz, Ana Paulo e Isabel Cardoso. Esta visita insere-se nas atividades do projeto CCVnoAESCT (Ciência Viva) visando consolidar as aprendizagens realizadas pelos alunos nas atividades extra curriculares que desenvolveram nos clubes, ao longo do ano letivo. Foram múltiplos e variados os desafios que lhes foram propostos, e muitos os projetos em que os alunos participaram com entusiasmo. Foram selecionados os alunos mais assíduos, participativos e empenhados nas atividades propostas nos diferentes clubes.

O dia começou por uma visita guiada ao Museu do Quartzo (#museusdeviseu), no Monte de Santa Luzia, no qual os alunos puderam observar amostras de minerais de várias zonas do planeta, e aprender acerca deste minério (quartzo) e suas utilizações no nosso quotidiano.

À tarde, fomos à Quinta da Cruz (museu de arte contemporânea da cidade de Viseu), no qual houve possibilidade de assistir a um filme de animação acerca do ciclo da água, realizar um workshop sobre as espécies invasoras em Portugal (numa vertente de educação ambiental), e ainda, visitar a exposição temporária “O movimento do traço”, onde estão patentes obras do artista viseense José Mouga.

As professoras agradecem aos alunos dos clubes a sua participação, parabenizando o seu empenho e criatividade durante todo o ano letivo.

Agradecemos, ainda, aos monitores dos espaços visitados, Raquel, Guilherme e Carina, que tão bem nos receberam e apresentaram as coleções de ambos os museus, e ao educador ambiental, Gabriel, pela mensagem de preservação da Natureza que nos passou.

Os clubes regressam no próximo ano letivo, com mais desafios para os nossos alunos!

Aventuras Planetárias na EBI

No passado dia 11 de junho, esteve na nossa escola, no âmbito do projeto CCVnoAESCT, a Dra. Vera Assis Fernandes #aventurasplanetarias , especialista em geologia lunar. Com os alunos do 7.º ano, foi desenvolvido um workshop onde puderam investigar e caracterizar amostras de rochas, a fim de descobrirem se eram meteoritos. Os alunos mediram algumas propriedades das rochas (densidade, massa, volume, cor, magnetismo…), e concluíram, com base nas descobertas, se as amostras estudadas eram provenientes do Espaço.

Durante a tarde, foi proporcionada, aos alunos do 2.º ciclo, uma palestra “À caça de meteoritos na Antártida”, na qual a especialista partilhou com os alunos a sua experiência neste continente gelado. Também se proporcionou o contacto dos alunos com amostras de rochas, provenientes de vários locais no planeta, e meteoritos.

Foi mais um momento interessante, no qual a Ciência e a divulgação da Ciência permitiram aos alunos consolidar conhecimentos adquiridos nas aulas, reconhecendo a importância da aprendizagem. O nosso agradecimento especial à Dra. Vera Fernandes, com quem gostámos muito de passar o dia!

DAC “Dia Mundial do Ambiente” (Ciência Viva)

Durante a semana de 3 a 7 de junho, os alunos das turmas do 8.º ano celebraram o Dia Mundial do Ambiente, na disciplina de físico-química, integrando o projeto CCVnoAESCT. Os alunos foram desafiados a  pesquisar acerca dos fatores físicos e químicos que podem afetar o cultivo das espécies vegetais.

Nesta senda, realizaram atividades práticas nas quais puderam medir e  verificar a influência do pH  dos solos na horta pedagógica, concluindo que o solo dos terrenos da escola tem características ácidas, sendo bom para o desenvolvimento de espécies como mirtilos, ou a urze. Os alunos, ainda, verificaram a importância da sombra das árvores na temperatura do solo, verificando que, nas mesmas condições de inclinação e exposição solar, a presença da sombra das árvores permite baixar a temperatura do solo cerca de 5 ºC.

Pesquisando acerca do crescimento das plantas com a luz do Sol, descobriram que a luz de Led´s azuis é mais apropriada para desenvolver as sementes, enquanto que a luz de Led´s vermelhos permite aumentar o crescimento das plantas.

Desta forma, foi possível aos alunos verificar a importância da Ciência para o nosso dia a dia, e a aplicação prática dos conteúdos da disciplina.

Ciência Viva no 1.º CEB – 3.º Período

A Ciência Viva, neste período, regressou a todos os estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo, com os professores Amílcar Sarmento e Isabel Cardoso a dinamizar atividades de ciências naturais e físico-química com os pequenos cientistas.

No pré-escolar, na turma B do jardim de infância de Santa Cruz da Trapa e na turma de Serrazes, retomou-se a leitura da história infantil “A sereia e os gigantes”, que serviu de mote para a descoberta de algumas propriedades das rochas, como a cor, o brilho, a textura e a efervescência com ácidos.

Na EB de  Manhouce, as propriedades das rochas, numa abordagem um pouco mais aprofundada, continuaram a ser o tema propondo aos alunos dos 1.º e 2.º anos, investigar a cor, o brilho, a textura, a efervescência com ácidos e a densidade desses importantes materiais constituintes do nosso planeta. Também a utilização das rochas, como matéria-prima, nas mais diversas atividades e edificações humanas, não deixou de ser abordada. Com os alunos do 3.º e 4.º anos, exploraram-se as condições em que há corrente elétrica num circuito, assim como, os materiais bons e maus condutores da eletricidade.

Já na EBI de Sta. Cruz da Trapa foram investigadas as propriedades dos materiais (“ácidos do dia a dia” no 1.º ano, flexibilidade, dureza, transparência e solubilidade no 2.º ano e propriedades magnéticas, relacionadas também com o magnetismo terrestre, no 3.º ano) e foi feita, no 4.º ano, uma viagem aos fenómenos vulcânicos, através de demonstrações de erupções e de observação de rochas.  

Nas turmas do 1.º ciclo de Carvalhais, no 1.º ano reconheceram-se e estudaram-se as propriedades dos materiais quanto à sua acidez, na turma do 3º e 4º ano explorámos os planetas do Sistemas Solar (3º ano) e as propriedades da eletricidade.

Agradecemos aos alunos e seus professores a curiosidade e carinho com que sempre nos recebem. 

A  Ciência Viva volta às salas de aula no próximo ano letivo!

Visitas às Escolas Secundárias e Profissionais com os alunos do 9.º ano

No âmbito do Programa de Orientação Escolar e Profissional, os alunos do 9.º ano, realizaram visitas aos Agrupamentos de Escolas de São Pedro do Sul e de Oliveira de Frades e às Escolas Profissionais de Carvalhais e de Vouzela. Estas visitas foram organizadas pela psicóloga do AESCT, em conjunto com os responsáveis pelas referidas instituições, possibilitando aos alunos conhecer as instalações e as diferentes ofertas formativas disponíveis para o próximo ano letivo.

Com estas atividades, pretendeu-se ajudar os alunos a identificar o percurso formativo mais adequado e auxiliá-los no processo de tomada de decisão.

Encontro dos alunos do 8.º ano de EMRC

No dia 31 de maio, realizou-se o 3.º encontro dos alunos do 8.º ano inscritos na disciplina de Educação Moral Religiosa Católica, das Escolas de Lafões.

A atividade realizou-se em Oliveira de Frades e contou com a presença de cerca de 200 alunos oriundos das Escolas de Oliveira de Frades, Vouzela/Campia, S. Pedro do Sul e Santa Cruz da Trapa.

Depois da receção às escolas, os alunos tiveram oportunidade de conhecer o Museu Municipal, a igreja de S. Pelágio e o centro histórico de Oliveira de Frades. Depois do almoço partilhado, seguiu-se uma tarde desportiva. Cada escola tinha de realizar quatro jogos em equipa: futebol humano, pés presos, túnel e futebol. 

No final foram apurados os vencedores de cada jogo, recebendo, das mãos do diretor da escola de Oliveira de Frades um prémio simbólico, gentilmente cedido pela Câmara de Oliveira de Frades. 

Queremos fazer um agradecimento à CIM Viseu Dão Lafões, bem como ao professor Eduardo Silveira que acompanhou os alunos.

Encontro de alunos do 7.º ano de EMRC

No dia 22 de maio, realizou-se o 3.º encontro dos alunos do 7.º ano inscritos na disciplina de Educação Moral Religiosa Católica, das Escolas de Lafões.

 O evento realizou-se em Santa Cruz da Trapa e contou com a presença de cerca de 150 alunos oriundos das Escolas de Oliveira de Frades, S. Pedro do Sul e Santa Cruz da Trapa.

Neste encontro, os alunos tiveram a oportunidade de visitar o Mosteiro de São Cristóvão. Nesta visita, orientada por duas filhas do proprietário, os alunos puderam apreciar a Igreja, o claustro, o refeitório e a cozinha.

Depois de uma caminhada até à junta de Freguesia da Gralheira, os alunos aprenderam, com a colaboração dos Bombeiros de Santa Cruz da Trapa, procedimentos a utilizar no Suporte Básico de Vida. 

Depois do almoço, seguiu-se o peddy paper. Em equipas, os alunos puderam seguir pistas, realizar jogos e atividades lúdicas. 

Queremos fazer um agradecimento à CIM Viseu Dão Lafões, aos Bombeiros Voluntários de Santa Cruz da Trapa, à Junta de Freguesia de Santa Cruz, que gentilmente cedeu as instalações da Gralheira, às proprietárias do Mosteiro de São Cristóvão, bem como à docente, Teresa Cidra,  que acompanhou os alunos. 

EMRC – Alunos do 6.º ano visitam o Bioparque

No dia 6 de junho, os alunos do 6.º ano, inscritos na disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica, realizaram uma atividade no Bioparque.

Depois de uma caminhada, desde a escola até ao Bioparque, os alunos puderam usufruir de um dia bem passado entre a piscina, convívio e jogos de futebol.

Ficou a vontade de regressar no próximo ano. 

Queremos agradecer à animadora Inês Marques que acompanhou os alunos nesta atividade.